O serviço de radiocirurgia e radioterapia estereotáxica têm como fundamento, constituir-se parte integrante do serviço de radioterapia, utilizando-se assim de acelerador linear comumente utilizado porém tendo como diferencial um implemento formado por multi-microlâminas, as quais permitem a conformação das lesões a serem tratadas, minimizando assim os efeitos deletérios da radiação em áreas intactas, e trazendo conseqüentemente, maior eficácia terapêutica. O conceito atual de radiocirurgia estereotáxica contempla a radiocirurgia em dose única e a radiocirurgia fracionada, em múltiplas doses, sempre envolvendo o uso do cálculo estereotáxico.

Em relação ao material humano, além das áreas médicas envolvidas, principalmente neurocirurgia e radioterapia, a física médica tem papel crucial na implantação, implementação e controle de qualidade do serviço de radiocirurgia. Outros profissionais envolvidos seriam: enfermeiro, técnico de enfermagem, técnicos de radioterapia, técnicos de moldagem, administrador e secretário.

 

COMO É A SEQUÊNCIA DE TRATAMENTO COM RADIOCIRURGIA?

 

1 – Encaminhamento – marcação de consulta médica

Todo paciente encaminhado deverá ser avaliado previamente pelo radiocirurgião (neurocirurgião com formação específica) e radioterapeuta. Após a consulta médica, a equipe, em conjunto como físico médico, definirá o tratamento radiocirúrgico a ser proposto. No dia da consulta médica o paciente deverá ser informado a respeito do procedimento, do aparelho utilizado, do arco estereotáxico, da internação e do acompanhamento multidisciplinar e deverá ter todas as suas dúvidas sanadas.

 

2 – Marcação do procedimento

Após a decisão do procedimento a ser realizado, a solicitação junto à prestadora de serviço (quando for o caso) deverá ser realizada pela equipe radiocirurgia – radioterapia. Após liberação, o procedimento será marcado. A marcação será realizada em dias específicos da semana, sendo que nestes dias, a radiocirurgia será prioridade no serviço.

 

3 – Procedimento

Nos casos de dose única, a ressonância magnética deverá ser realizada nos dias anteriores ao procedimento. Nos casos de radiocirurgia fracionada, o paciente poderá realizar ressonância magnética e tomografia computadorizada de crânio no mesmo dia. O radiocirurgião e/ou radioterapeuta deverá avaliar previamente a ressonância magnética dos pacientes aos quais foi indicada dose única, confirmando a possibilidade de tal tratamento e evitando a instalação desnecessária de arco estereotáxico. Deverá também ser descartada na consulta médica prévia alguma fator que impossibilite a instalação do arco (uso de anticoagulante, craniotomia extensa, craniectomia), estando indicado assim o uso da máscara. Os pacientes com indicação de dose fracionada serão agendado assim que seu planejamento estiver pronto e haja horário disponível no aparelho, sempre com preferência para os pacientes com lesão de pior prognóstico.

Os pacientes de dose única deverão ser internados no dia do procedimento, logo pela manhã. O arco estereotáxico deverá ser instalado pelo radiocirurgião em sala especial de procedimento com suporte de enfermagem. Por se tratar de um procedimento invasivo, este deverá ser realizado por profissional competente com disponibilidade de tratamento cirúrgico de urgência, na eventualidade de uma intercorrência. Após a instalação do arco, o paciente será conduzido ao aparelho de tomografia computadorizada para realização do exame. Conforme acordo prévio, os pacientes com arco deverão ter prioridade para realização do exame. Após a realização do exame de tomografia o paciente será levado ao leito dia.

Após aquisição da ressonância magnética e tomografia computadorizada, deverá ser realizada a definição do alvo a ser tratado. A lesão deverá ser desenhada pelo radiocirurgião em conjunto com o radioterapeuta e eventualmente, o médico assistente. As outras estruturas poderão ser desenhadas pela equipe radiocirurgião – radioterapeuta. Após o desenho da lesão e das estruturas o planejamento será realizado pelo físico médico, com a aprovação do radioterapeuta – radiocirurgião. O paciente radiocirúrgico de dose única com planejamento aprovado tem prioridade na agenda de aplicação.

A aplicação deverá ser acompanhada pela equipe (radioterapeuta, radiocirurgião e físico médico). Após término da aplicação o arco estereotáxico será retirado pelo radiocirurgião – radioterapeuta. O paciente receberá alta no mesmo dia com orientação.

 

4 – Pós-procedimento

O acompanhamento pós-procedimento deverá ser realizado pela equipe radiocirurgia – radioterapia. O paciente deverá retornar com 7 dias para avaliação clínica e com um, três, seis, nove e doze meses para controle de imagem com ressonância magnética.

Bom, é assim que funciona uma radiocirurgia.

Bom fim de semana a todos!

 

Leave a Reply

O seu email não será publicado Campos com * são obrigatórios

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

clear formSubmit